Rescaldo do Jogo no site PlanetaBasket

Ir em baixo

Rescaldo do Jogo no site PlanetaBasket Empty Rescaldo do Jogo no site PlanetaBasket

Mensagem  João Carvalho em Qua Maio 26 2010, 12:48

Os jogos 2 e 3 marcaram a reviravolta nas finais de Zona. Micaelense e Vale de Cambra não conseguiram confirmar a vantagem obtida no jogo 1 e acabaram derrotados ao perderem os dois jogos do fim-de-semana. Guifões e Algés garantiram assim o direito a subir à Proliga. Ao Micaelense e ao Vale de Cambra resta capitalizar a experiência adquirida para tentar de novo a subida na próxima época.

A recuperação do Guifões começou em casa, num Pavilhão Municipal com excelentes condições e com uma assistência e um ambiente de fazer inveja a muitos jogos da LPB e da Proliga. Ambas as equipas tiram bem partido da capacidade de lançamento de longa distância dos seus jogadores interiores, e foi dessa forma que o jogo começou, com um triplo para cada lado. Mas os da casa apresentaram desde o início uma variedade de soluções no ataque que os visitantes não conseguiram encontrar. O Guifões alternou cestos de 3 pontos com concretizações a partir de posições interiores, e na defesa conseguiu proteger a sua zona de tal forma que o Vale de Cambra em todo o 1º período apenas marcou de triplos e da linha de lance livre, e só conseguiu o seu 1º cesto de 2 pontos após 14 minutos de jogo. O 1º período terminou com o Guifões na frente (19-13). No 2º o Guifões manteve o domínio, com dois triplos logo de início, e quando o Vale de Cambra concretizou em ataque rápido a meio do período, um desconto de tempo veio imediatamente quebrar o entusiasmo dos visitantes continuando a vantagem dos da casa a aumentar até aos 16 pontos (39-23) com que terminou a 1ª parte. Apesar da predominância de adeptos da equipa da casa, foi a claque do Vale de Cambra que dominou o pavilhão do ponto de vista sonoro, sem desanimar nem mesmo quando a diferença passou dos 20 pontos no decurso do 3º período. A qualidade do jogo baixou neste período, com o Vale de Cambra a entrar com vontade de recuperar mas a incorrer em sucessivos erros no ataque, e com o Guifões a revelar dificuldades em se entender com a defesa zona dos visitantes. No 3º período marcaram-se apenas 20 pontos e a vantagem do Guifões aumentou para 19 (51-32). No último período, após 5 pontos para cada lado nos primeiros 2 minutos, o Guifões, com 2 jogadores excluídos e outros 2 com 4 faltas, resolveu jogar pelo seguro e controlar o mais possível todas as posses de bola. Mesmo sem marcar pontos durante mais de 6 minutos, o Guifões limitou a recuperação do Vale de Cambra, e a 1 minuto e meio do fim vencia por 12. A partir deste momento os visitantes passaram a utilizar o recurso às faltas para parar o cronómetro. A percentagem de lances livres do Guifões não foi das melhores mas o controlo das posses de bola continuou eficaz, garantindo no final a vitória de uma forma segura (61-52).

A vitória do Guifões no jogo 2, não constituindo uma surpresa, não era o suficiente para retirar o favoritismo na eliminatória ao Vale de Cambra, que mantinha a vantagem do factor casa. Mas o jogo 3 não confirmou esse favoritismo. O Guifões aproveitou a embalagem da vitória caseira e foi a Vale de Cambra vencer de novo por (63-69), triunfando na final Norte (2-1).

Ao contrário do Guifões, a reviravolta do Algés na eliminatória começou fora, com a vitória no jogo de sábado por margem mínima (51-53), para terminar em casa com uma vitória folgada mas de forma nenhuma facilitada (66-46). Depois de perder a oportunidade de fechar a eliminatória em casa, o Micaelense veio a Algés determinado em repetir a proeza do jogo 1, e a entrega à luta por parte dos seus jogadores foi absolutamente exemplar. O 1º período registou elevado número de perdas de bola e lançamentos falhados por parte de ambas as equipas, além de baixíssima percentagem de lances livres por parte do Micaelense. O Algés usou bem a pressão na defesa para limitar a acção ofensiva dos visitantes e conseguir alguns roubos de bola, mas sem tirar todo o partido possível da sua qualidade defensiva. No final do 1º período, vantagem do Algés (15-7). No 2º período o Algés conseguiu levar a diferença até 17 pontos, aproveitando bem algumas falhas defensivas e erros na condução da bola por parte do Micaelense. A equipa de S. Miguel esteve nesta altura à beira do KO, mas fazendo apelo às reservas de energia conseguiu parar o afastamento do Algés e conter a diferença nos 14 pontos no final da 1ª parte (32-18). O panorama não se alterou no 3º período, com a diferença a manter-se (49-35) e até a reduzir-se para 9 pontos nos primeiros 2 minutos e meio do 4º período. Mas a partir daqui só deu Algés. Um triplo a 4 minutos do fim colocou a diferença em 14 pontos e serenou os da casa, que não cometeram desta vez os erros do final do jogo 1. Até ao fim o Algés dilatou ainda o resultado até aos 20 pontos de avanço com que terminou o encontro (66-46). Com uma rotação mais limitada, o Micaelense foi mais sensível à sequência de dois jogos em dias seguidos, e as dificuldades físicas foram-se acentuando ao longo do jogo. Tem no entanto de considerar-se notável a carreira neste Play-Off de uma equipa que veio do 7º lugar da fase regular, ultrapassou Montijo e Atlético, e esteve a um passo, no jogo 2, de vencer a final de Zona. Pelo seu lado o Algés, sem ter atingido no Play-Off final a qualidade que evidenciou em várias jornadas da fase regular, usou bem os seus pontos mais fortes, maiores possibilidades de rotação e agressividade da defesa, para justificar plenamente a vitória que na época passada outra equipa dos Açores lhe havia retirado.


Garantida a subida à Proliga, Algés e Guifões disputam no próximo domingo num único jogo o título de campeão do CNB1


Final do CNB1 - Dia 30 de Maio

Guifões-Algés às 16.00h no Pav. Mun. de Pousos
João Carvalho
João Carvalho

Mensagens : 163
Data de inscrição : 19/09/2008
Localização : G U I F Õ E S

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum